sexta-feira, 1 de junho de 2012

Casa Avelino Duarte



Características do contexto de intervenção e o modo como o projecto lhes responde:

A Casa Avelino Duarte de Siza Vieira, é uma Habitação do tipo Unifamiliar que liga Ovar ao Furadouro. É um volume ortogonal que se destaca pelos dois momentos de quebras excepcionais nos alçados Norte e Sul, que marcam a entrada na mesma e o acesso ao jardim exterior situado nas traseiras. Esta foi implantada na Av. da Régua em Ovar, onde se destaca facilmente de toda a malha urbana em redor, devido à sua aparência exterior completamente austera e purista, que difere da zona de implantação, esta repleta de elementos vegetais e casas com carácter arquitectónico mais tradicional do que o objecto que Siza Vieira implanta.

Podemos verificar ainda através do que foi anteriormente mencionado que existe um destaque óbvio deste projecto relativamente à zona envolvente do mesmo. Podemos constatar então que Siza Vieira, no processo de elaboração desta casa, não seguiu dogmas ou regras apresentadas pela envolvente, mas pensou através de um método intuitivo.

O piso térreo tem uma área de 132m2 e a nível programático é constituído por, cozinha com lavandaria, sala comum, um quarto de hospedes, e uma casa de banho. No piso térreo, mas na área exterior podemos constatar a presença de um átrio e uma garagem. Relativamente ao 1º piso este com 113m2 de área é constituído por quatro quartos, servidos por duas casas de banho completas e uma varanda. Existe ainda um acesso ao sótão existente acima do pé direito deste piso.

" A defined volume within a bounded space, the Duarte House rises above the suburban site rendered as a gravel and limestone plan. The austerity of the exterior is in contrast to the elaborate interplay between space and materials within the interior."
TESTER. Peter. "Alvaro Siza".



Lógica funcional e espacial da planta que melhor representa o projecto:


Neste projecto de Siza Vieira podemos constatar um jogo de espaços bastante complexo pelo o qual se torna bastante difícil de verificar apenas num corte ou numa planta. Contudo tal complexidade pode ser verificada de melhor modo talvez na planta do piso térreo. Nesta podemos ver que o projecto é feito de modo a que as escadas ganhem um carácter de extrema importância no projecto, pois as mesmas dividem o projecto logo à entrada em duas partes, zona comum e zona privada, esta última situada no segundo piso da casa.

Podemos ver que para além de o projecto ser dividido pelas escadas, é também dividido pelo o eixo Norte/Sul, salientados pelas escavações da massa purista em alçados. Este eixo divide a zona de serviços de uma zona com carácter de estar, situando-se respectivamente no lado Oeste e Este.

É notável o modo como neste projecto Siza Vieira consegue articular funcionalmente os espaços em planta, sem deixar de perder a fluidez de transição entre os outros pisos. Denota-se portanto um jogo de encaixe vertical e horizontal  onde os acessos  entre pisos ganha bastante importância. Siza Vieira revela uma extraordinária delicadeza ao tratar das mesmas,  criando um superterfugio no tão forte eixo Norte/Sul que direcciona o fluxo entre espaços do piso zero para o piso um.

" Ground floor living areas are so separated from the entry by an open stair hall leading to the private rooms of the second floor and third floor study. The domestic spaces within this classically ordered plan are fractured as certain parts of the interior are isolated for emphasis. The marble revetment applied to the functioning parts of the house - stair, wall, column, hearth - foreground the elemental dwelling."

Alvaro Siza Figures and configurations: Buildings and projects 1986-1988".



Lógica funcional e espacial do corte que melhor representa o projecto:


Apenas melhor do que na planta do piso 0, talvez essa complexidade espacial se denote melhor no corte (longitudinal ) executado sobre o eixo Norte/Sul do projecto em questão. O mais gritante neste corte é obviamente a plasticidade excepcional da forma curva existente na escavação do lado da entrada ( Norte ).
Alguns dos elementos da casa, tanto exteriores como interiores, nomeadamente, a cobertura abobadada, a madeira e o mármore decorativos, a distribuição do programa em algumas divisões da casa. Fazem recordar a casa Steiner (1910) de Adolf Loos, arquitecto de renome internacional, e pioneiro do conceito " Raumplan". Em ambas as casas deve-se salientar a enorme flexibilidade característica do conceito de "Raumplan", apesar da forma austera exterior.


Conseguimos agora perceber que essa mesma escavação não serve apenas para marcar o ponto de entrada e o eixo articulador de acessos no projecto, assim como serve também para criar ligações próximas com o exterior , pois volta parte do programa do projecto para o mesmo.

Siza Vieira demonstra para além da já mencionada subtileza com que desenha em planta, volta a demonstra-la em corte rematando as várias cotas existentes em superterfugios do projecto. Como exemplos de tal serviriam: as alturas das janelas que estabelecem continuidade às alturas das portas, assim como o muro da varanda do terceiro piso  ganha continuidade altimétrica para o interior, etc.

Parece então um projecto onde a coexistência global não parece possível, existe todo um leque de propostas espaciais que sem a presença da caixa de escadas seria incoerente e desarticulado. As escadas servem então não só como ponto de acesso entre pisos, como também como elemento harmonizador de várias discordâncias do projecto.

"Conjugando simetrias e assimetrias, elementos externos e internos, espaços de serviços e espaços de estar, este edifício articula-se em torno de uma caixa de escadas que posiciona e harmoniza as aparentes desarticulações."
RODRIGUES, Jacinto. " Alvaro Siza obra e método".


Aspectos do projecto mais próximos dos modelos canónicos do movimento moderno:



Tendo em conta o anteriormente mencionado é gritante o modo como a casa Avelino Duarte segue a cânone do movimento moderno "Raumplan" apresentada por Adolf Loos. Isto deve-se à grande complexidade existente nas diferentes unidades espaciais que contrastam com a simplicidade apresentada em alçado, parecendo que o projecto após devidamente pensado fora enclausurado dentro de uma caixa, forma purista também característica desta cânone do movimento moderno.


Alguns dos elementos da casa, tanto exteriores como interiores, nomeadamente, a cobertura abobadada, a madeira e o mármore decorativos, a distribuição do programa em algumas divisões da casa. Fazem recordar a casa Steiner (1910) de Adolf Loos, arquitecto de renome internacional, e pioneiro do conceito " Raumplan". Em ambas as casas deve-se salientar a enorme flexibilidade característica do conceito de "Raumplan", apesar da forma austera exterior. 






Aspectos do projecto que mais se distanciam dos modelos canónicos do movimento moderno:



É também relativamente a esta caixa que Siza Vieira foge um pouco ao verdadeiro sentido do conceito de "Raumplan", e se de um modo geral se denota a ortogonalidade característica de uma forma contentora de algo…  As formas curvas existentes nos alçados e na cobertura, revelam de algum modo, uma assinatura da parte de Siza Vieira que adultera o conceito rígido purista de " Raumplan" e atribui alguma flexibilidade e singularidade ao projecto.

Ao observar a discrepância existente entre o exterior e interior da casa podemos ainda destacar outro aspecto que se distancia dos cânones puristas do movimento moderno. A elevada complexidade ornamental aplicada sobre as divisões da casa vai obviamente contra a definição de " tipicidade" imposta por Loos, seguindo antes os princípios de "singularidade" e " perfeita unidade de concepção" apresentado no texto " A História de um Pobre Homem Rico".

Existem então estas nuances na concepção desta casa da parte de Siza Vieira, pois se em alguns aspectos Siza Vieira parece inspirar-se em Adolf Loos e nos modelos canónicos expostos pelos mesmo, noutros aspectos igualmente evidentes, Siza Vieira opõem-se aos mesmos modelos.

Calos Ferreira
João Amaro
João Oliveira

Bibliografia:


-  " A História de um Pobre Homem Rico", LOOS Adolf;
-  " Álvaro Siza", TESTA Peter;
-  " Alvaro Siza: Obras y Proyectos 1954-1992" , SANTOS Paulo;
-  " Alvaro Siza Figures and configurations: Buildings and projects 1986-1988"
-  " Alvaro Siza obra e método" , RODRIGUES, Jacinto;
-  "Publicação desconhecida" , Croquis.

-   http://www.iap20.pt/


1 comentário:

  1. oi
    Será que você tem as plantas da casa com as medições com o modelo que você fez?

    ResponderEliminar